omangue

omangue

  • Informações da Banda

    omangue

    omangue

    EXTRA! EXTRA! O MANGUE INVADE AS CIDADES!

    Após 6 anos de estrada, O Mangue abre sua cabaça de sons e lança o álbum autoral IGBÁ AYE: ESTUÁRIO DO MUNDO com produção de Pedro Lobo e participações de Luiza Lian, Rappin Hood e Mestre Plínio.


    Ganhador do ProAC Editais, o disco foi sendo gerado durante a turnê da banda com o espetáculo Chico Vive, que rodou os palcos do país, através do SESC, SESI e Casas de Shows, tocando a história do movimento manguebeat, de seus artistas, influências, misturas e possibilidades desse caldeirão cultural.

    O toque do berimbau nos segundos da faixa-intro Igbá faz reverência aos ancestrais e abre o caminho para Estuário do Mundo, que dá nome ao álbum e traz uma pegada dançante, misturando rap, tambores e, claro, a raiz da banda, o bom e velho rock brasuca.

    A música de trabalho Som dos Guetos vem a seguir com a força que foi construído esse trabalho, espalhando a mensagem do disco de pluralidade, conexão e ritmo. Virada de Maré, com a participação da Luiza Lian, com suavizando as guitarras bem marcadas dessa faixa. As duas músicas estão na programação das rádios paulistas Rádio Atual FM e Rádio USP.

    As fusões sonoras que O Mangue apresenta nas 10 faixas do álbum protagonizadas por ritmos regionais brasileiros com rock, dub, reggae, mpb, e letras afiadas, na trilha aberta pelas precursoras Nação Zumbi, Mundo Livre S/A, O Rappa, entre outras bandas clássicas dos anos 90.

    Destacamos também as faixas Indio Preto e Seres de Luz que chamam atenção pelas paisagens sonoras levando o ouvinte a uma viagem cm toques xamânicos e psicodélicos.

    Gravado no Estúdio Artes Marginais (SP), o trabalho de estreia dos paulistanos é uma co-produção O Mangue e Pedro Lobo, produtor musical e baixista do Braza, co-mixado por Pedro Garcia, produtor musical e baterista do Planet Hemp.

    Da influência nordestina, a banda herdou o amor incondicional aos tambores, fortemente presentes em todas as músicas pelas mãos e baquetas de Gabriel de Toledo (Destilaria do Groove, Araras Negras), Digo Amazonas ( Multidão, Araras Negras) e Ivan Silva (Babélico.). Para dar ainda mais peso, o groove do baixo de Juari Dovenas (Quasimodo) , e dos riffs de Marcos Mossi (Familia Gangster, Buena Onda Reggae Club) na guitarra, Bruno Ferrari ( Estado Terminal) garantem o que se espera de uma banda de rock afro-brasileiro em tempos de caos.


    Participações especiais expressivas marcam as faixas Percepção (Rappin Hood) e Virada da Maré (Luiza Lian), além de Igbá e Estuário (Ayê), ambas com Mestre Plínio, abrindo e fechando os trabalhos com o axé da capoeira angola (Angoleiro Sim Sinhô).

    A arte e todo projeto gráfico, bem com a direção artística do show é do Bento Andreato. A capa do disco apresenta fotos de berimbaus pintados pelo artista Eduardo Freguesia.

    O álbum se encontra nas plataformas digitais.

    Integrantes:
    BRUNO FERRARI
    GABRIEL DE TOLEDO
    DIGO AMAZONAS
    MARCOS MOSSI
    JUARI DOVENAS
    IVAN SILVA

    Downloads: Rider

    Telefone: +5511970472472
    E-mail: [email protected]

    Origem: São Paulo - sp (Brasil)

    Residência: São Paulo - sp (Brasil)

    Estilo
    ROCK POP COM RITMOS REGIONAIS

    Redes Sociais

  • Fotos

    mangue-foto_04-5d5596c12bca7.jpg mangue-foto_05-5d5596e80bd40.jpg mangue-foto_07-5d55970e922c6.JPG
  • Músicas

  • Vídeo