Leopac
  • Informações da Banda

    Leopac

    Leopac

    Rima sul-mineira faz o chicote estralar

    Prepare-se ! O Chicote vai estralar ! Uma rima ágil é o que resume o rap feito pelo sul-mineiro Leopac. Uai ! Com letras politizadas e modernas, o jovem criado em Poços de Caldas cresceu ouvindo música negra e através do Funk Original, ainda nos anos 1980, sentiu vontade de ingressar na cultura Hip-Hop.
    Por ter um pai DJ de bailes black, tradicionais na cidade, e ter crescido ouvindo música black, Leopac teve o primeiro contato com o rap de uma maneira bastante comum no interior do estado, através das Fitas k7, ouvidas em tapes, tão comuns ainda na década de 1990.
    Com o single Chicote Estrala já lançado, que precede o primeiro EP gravado sozinho após quase oito anos na estrada do rap, ele se prepara para gravações e participações em mixtapes;.
    As comparações do público que se incendeia durante os shows do neguinho interiorano vão de Slim Rimografia a Emicida e Rashid, mas ele manda o salve e revela que tem mais em mente.
    O primeiro EP do rapper vem com nove faixas e de acordo com ele, é uma resposta à cobrança dos “manos” do sul de Minas. As letras falam sobre as vivências do jovem de 22 anos. “Dentro das nove faixas, duas produções ficaram por conta do DJ Duh de Campinas que é um monstrão dos beats e o restante das produções são minhas, além de participações especiais como DJ Mancha, André Tom Black e Jéssica Balbino”, anuncia.
    Entre as produções caseiras que faz com o selo próprio, batizado como Cara de Nojo Produções, Leopac, cujo nome denota a semelhança com o cantor norte-americano Tupac Shakur, se dedica também a um trabalho com beat sampleado ao lado do DJ Mancha, que o acompanha em todos shows e trabalhos. “Esse lance é meio mágico para mim, porque o sampler, quando bem trabalho, fica maneiro”, conta.
    Com sons dos anos 1970, 1980 e 1990 ele mescla as batidas do rap. “Eu me imaginando criando um quadro para ser leiloado, valendo milhões, saca?! Eu amo o soul, jazz, funk e tem muita coisa para ser sampleado e virar uma boa música”, frisa.
    De maneira excêntrica, ele se apodera do microfone e não deixa a desejar no que diz respeito a representar o elemento MC – mestre de cerimônias -. Desde 2003 ele levanta plateias de shows que já teve a oportunidade de abrir e participar como Facção Central, CXA, DBS e a Quadrilha, Dragões de Komodo e Função RHK.
    Não diferente de grande parte de quem deseja viver de rap, ele destaca a questão financeira como o maior obstáculo para gravar e lançar um disco. A sorte aconteceu quando o dono do estúdio em que está gravando resolveu apostar no som e como ele mesmo brinca, parafraseando Helião: “o bagulho tá osso”.
    A oportunidade representa um marco na carreira marcada por muitas lutas, idas e vindas, que desde o início da década, quando cantava no grupo Real Face do Gueto, liderado por G do Gueto, busca uma chance de mostrar o próprio trabalho e talento para rimar. Com o EP nas mãos, o rapper aguarda o fechamento de shows em toda região. “Não custa sonhar, né. Pretendo lançar esse ano, sem delongas”, informa.
    A primeira experiência com vídeo-clipes também tem data marcada e o lançamento do EP deve ser marcado ainda pelo audiovisual.
    Para não ficar de fora da cena nacional, Leopac iniciou, neste ano, o hábito de manter um blog na rede de computadores e tem se arriscado a produzir alguns textos sobre a cultura, tendo, inclusive, publicado um deles no blog Literatura Periférica do escritor e cineasta Alessandro Buzo, além de participar do livro do Pelas Periferias do Brasil Vol 5 , ao lado de 20 autores como Mel Duarte ,Andre Vasconcelos, Claudia Maciel , Marcel Coronato, Alessandro Buzo,entre outros .
    A originalidade fica por conta do contrato com a grife de periferia Interiô, que o veste e ele exibe, no peito, orgulhoso, o mapa do Estado onde vive a expressão que o caracteriza no microblog twitter: uai ! de @leopacuai.
    No entanto, o investimento no 5º elemento da cultura Hip-Hop não para por ai. Com oficinas , workshops e idealização para realização de saraus, ele anuncia que não vai parar e que quer se dedicar a espalhar o Hip-Hop de outras maneiras que não apenas o Rap.
    Questionado sobre qual escola do Rap o define, Leopac fica indeciso, mas revela que se considera da nova escola, afinal, só ó ouvido agora. “E ainda tem a pegada da música”, diz.
    Musicalmente, ele se define como um artista que busca se completar. “Quero herdar tudo que eu puder da música que amo”, finaliza.


    Os trabalhos do rapper podem ser encontrados nos links:

    Blog: http://leopac.blogspot.com/
    http://caradenojo.blogspot.com/
    Twitter: http://twitter.com/Leopacuai
    Email: [email protected]
    Soundclound: http://soundcloud.com/leopac

    + 55 35 8821.8706
    + 55 35 8808.3197

    Integrantes:
    Leopac (MC)
    Dj Mancha (DJ)

    Telefone: 88218706
    E-mail: [email protected]

    Origem: Poços de Caldas - mg (Brasil)

    Residência: Poços de Caldas - mg (Brasil)

    Estilo
    Rap

    Redes Sociais

  • Leopac Músicas

  • Leopac TV

  • Twitter