Blog

GRITO ROCK: a música independente e a resistência cultural por todo mundo

O período carnavalesco marca novamente o início do Grito Rock, que este ano chega a sua 12ª edição com produtores em várias cidades do Brasil e do mundo. Marcado pela lógica colaborativa e pela integração entre os realizadores, o festival, que já lançou diversos nomes no cenário musical independente, traz também novos formatos de evento em arranjos diversos e criativos. Das pequenas casas de shows até os grandes palcos e espaços públicos, recebe atrações que trabalham com várias ritmos e também artistas de teatro, dança, moda, artes visuais e literatura.

Com o intuito de propiciar a circulação, o festival mantém sua característica de criar rotas que facilitam turnês entre as cidades. Os artistas que se interessam em compor a programação do festival poderão ser selecionados pelos produtores através da plataforma Toque no Brasil, que irá divulgar a abertura de vagas nas cidades onde ocorrerá o evento.

A arte visual em 2018 é assinada pelo argentino “Trabalhador da Imagem” San Spiga. Professor por natureza, seu trabalho tem grande identificação com o Grito Rock, afinal seu foco reside na formação de grupos e no trabalho cooperativo. O artista ministra oficinas de arte urbana, ativismo gráfico e comunicação política, também realizando exposições em festivais, cadeias, bairros e universidades pelo mundo.

Realizado pelo Fora do Eixo, com apoio do Toque no Brasil e financiado pelo Fora do Eixo Card, a cada ano o Grito Rock busca democratizar o acesso à informação e facilitar a produção de cada evento oferecendo cartilhas, tutoriais e campanhas na área de produção, comunicação, sustentabilidade e formação. Todo conteúdo é disponibilizado para uso dos produtores e possibilita ainda um canal direto de diálogo, visando o fortalecimento de uma rede global de música.

Histórico
Depois do início das edições integradas em 2007, o Grito Rock cresceu exponencialmente e em 2011 alcançou a marca de 130 cidades, em oito países, movimentando 2 mil bandas e aproximadamente 200 mil espectadores. Em 2012, foram 205 cidades realizadoras, 37% a mais em comparação com 2011, envolvendo a participação direta de 700 produtores culturais, de 15 países diferentes. Finalmente, em 2014, ganhando amplitude global, o festival alcançou mais de 300 cidades e 35 países, tendo edições em vários países da América Latina, América do Norte, Europa e África.

Fora do Eixo
O Fora do Eixo é uma rede de Cultura e Comunicação que reúne coletivos e parceiros espalhados em cerca de 300 cidades brasileiras. Em mais de dez anos de atuação impulsionou a criação de dezenas de projetos, que, por sua vez, estimularam o desenvolvimento de outras redes, tais como a Universidade das Culturas, o Banco das Culturas, a Rede Brasil de Festivais, a Mídia NINJA e o próprio Grito Rock.

Grito Rock
Sem proprietários e patrocinadores master, o Grito Rock é um festival colaborativo, baseado em tecnologias livres. Em 2018 acontece no período entre 08 de fevereiro e 13 de março. Produtores independentes podem inscrever-se para participar e realizar uma edição em sua cidade. O formato colaborativo permite que, a cada ano, mais produtores compartilhem experiências e fortaleçam a cadeia produtiva da música local ao passo que cria conexões em âmbito global.

Toque no Brasil (TNB)
Site e rede de música brasileira com o objetivo de conectar bandas, músicos e produtores através de uma plataforma que reúne eventos, projetos e festivais diversos. Todas as vagas abertas pelos festivais do Grito Rock Mundo 2018 são gerenciadas pelo Toque no Brasil, no qual o produtor cadastra seu evento e oferece vagas para as bandas se inscreverem. Link: tnb.art.br.

Serviço
Grito Rock Mundo 12ª edição
Data: 18 de Fevereiro a 31 de março de 2018
Saiba mais: www.gritorock.org
Material de Imprensa (PressKit – Atualizar link ), acesse também via portal, na aba Imprensa (atualizar link).
Canal de notícias no Telegram: https://telegram.me/gritorock

Contatos:
[email protected]


Comentários


Comente