Blog

Anderson Foca fala sobre o novo disco do Camarones Orquestra Guitarrística.

Para quem está ligado na cena musical brasileira sabe que ontem foi dia de lançamento virtual de uma das bandas mais expressivas do rock instrumental brasileiro, a banda potiguar Camarones Orquestra Guitarrística.  Depois de lançarem alguns Ep’s e 2 discos o “O curioso caso da música invisível” é o 3º disco da banda que chega mais experiente e consciente do que é ser uma banda auto gestora. Trocamos algumas palavra com Anderson Foca (teclados e efeitos) sobre como foi o processo desse novo disco.

Download aqui

1 – Como foi o processo de gravação desse novo trabalho de vocês? Qual foi o diferencial desse disco para o anterior ?

O processo em si foi bem parecido com os nossos outros dois discos: nos reunimos, juntamos riffs, levadas e temas e gravamos tudo aqui mesmo no Estúdio Dosol que é nossa casa. Agora sonoramente tem diferenças pros outros dois discos sim. A entrada de Artur na bateria deu um molho diferente ao rock que a gente já tinha feito e isso foi ainda mais amplificado no disco. Também nos utilizamos de elementos que ainda não tínhamos experimentado como percussão indígena, naipe de metais entre outros experimentos. Radicalizamos no uso das nossas influências e giro por aí. Adoramos o resultado final.

2  - Os shows de vocês sempre foi muito para cima, dançante e cheio de energia. Esse novo disco ao vivo também terá essa característica ?

A nossa maior preocupação na hora de fazer o disco foi: como isso vai se encaixar no nosso show? A gente praticamente compõe para executar isso na estrada, nos imaginamos tocando esse repertório e é no show que as coisas acontecem pro Camarones. É um desafio bem grande dar um passo a frente no amadurecimento da banda sem perder  o poder de fogo no show. Já testamos quase tudo ao vivo e tem dado certo, ainda bem.

3 – Todo mundo que acompanha a carreira do Camarones sabe que vocês são uma das bandas mais ativas no cenário musical brasileiro e isso não é de hoje. Você por ter vivido vários momentos na musica brasileira, como enxerga o cenário independente atual ? É mais fácil montar uma banda hoje no Brasil ? O que você diria para alguém que está começando a sua carreira ?

Olha , o que temos na música é cada vez mas gente entendendo o lado da vivência, da experiência com música na sua plenitude. Não é só tocar e compor, é se envolver com todos os aspectos que a música oferece. Isso está acontecendo rápido. O RN tem feito sua parte muito bem, quase uma dezena de bandas circulando pesado e temos colhido frutos interessantes. Estar numa banda num país musical como o Brasil é fácil, agora viver só de uma banda (ou de tocar numa) não me parece ser uma escolha inteligente. É limitador e a música pode mais que isso. Então é achar esse rumo da vivência que a coisa anda. Quem tm uma banda nova deve prioritariamente conseguir construir um repertório de canções que seja invariavelmente boas e que tenham poder ao vivo, com isso todo o resto de alguma forma termina rolando.


Comentários


Comente